domingo, 29 de janeiro de 2012

Superliga B: equilíbrio marca segunda rodada do grupo A

Por Crisneive Silveira


A segunda temporada de Grand Prix do grupo A, disputada em Santa Catarina, começou acirrada e terminou mostrando o porquê da Superliga B ser um dos campeonatos mais disputados e equilibrados do vôlei nacional. Afinal, além do título de vencedor da primeira edição da competição, vale também uma tão sonhada vaga na Superliga 12/13.

No primeiro dia de jogo (26/01) o líder da chave Funvic/Midia Fone, manteve o ritmo de vitórias, de entrosamento e, ainda sem perder sets na competição, passou pelo Sport/Recife fazendo 3 a 0 (25/22, 25/19, 25/23). Em seguida, com o apoio da torcida e melhor nos passes e bloqueios, o Morro da Fumaça conquista sua primeira vitória na competição e vence a UFC/Ceará por 3 a 1 (25/20, 18/25, 25/18 e 25/20).

Na sexta-feira (27/01) mais um duelo nordestino. Desta vez a UFC/Ceará perdeu para o Sport/Recife por 3 a 0 (22/25, 13/25 e 21/25). A equipe pernambucana que notoriamente tem evoluído a cada jogo superou o adversário apostando no bloqueio e na defesa. No confronto seguinte da noite, o Morro da Fumaça não conseguiu manter o nível do jogo anterior e permitiu o crescimento do Funvic/Midia Fone que o derrotou por 3 a 0 (27/29, 21/25, 21/25).

Abrindo o último dia de jogos do segundo Grand Prix do grupo A, o Funvic/Midia Fone tem sua invencibilidade quebrada pela UFC/Ceará em 3 sets a 1 (21/25, 23/25, 25/21, 28/30) num dos jogos mais disputados e com um dos sets mais longos da rodada. A equipe cearense, apesar de duas derrotas na etapa (resultado inferior ao da primeira), finalizou a temporada com auto-estima elevada para os próximos desafios. E encerrando o terceiro Grand Prix do campeonato, o Morro da Fumaça se despede da torcida catarinense triunfando sobre o Sport/Recife por 3 a 2 (25/22, 19/25, 23/25, 25/22, 15/ 10) num jogo equilibrado que foi decidido no primeiro tie-break do grupo.

A equipe paulista Funvic/Midia Fone continua liderando o grupo A, agora com 15 pontos. Em segundo vem a UFC/Ceará com 9, em terceiro o time pernambucano que conseguiu 7 pontos e, ainda em último lugar, o Morro da Fumaça acumulando 5 pontos. A classificação deste grupo continua a mesma da primeira fase, mas a diferença de pontos entre as equipes mostra que ainda há possibilidade de uma reviravolta na tabela. Os times voltarão a se enfrentar em Recife nos dias 9, 10 e 11 de fevereiro.




Foto: Divulgação

sábado, 28 de janeiro de 2012

Atuação de Dani Scott é destaque dos jogos de sexta na Superliga feminina

Por Rodney Brocanelli

A última rodada do primeiro turno da Superliga femininatermina neste sábado com o esperado duelo entre Sollys/Osasco e Unilever. Todasas atenções estão direcionadas para esta partida, que pode ser uma prévia dagrande decisão. Mas nesta sexta, todas as outras equipes estiveram em quadra.

Dani Scott, central doBMG/São Bernardo, se destacou na vitória de sua equipe, fora de casa, sobre oMacaé por 3 sets a 1 (23-25, 25-21, 26-24, 25-22). A jogadora fez o maiornúmero de pontos na partida: 21. Além disso, ficou com o troféu Viva Vôlei. Anorte-americana retornou à equipe do ABCD paulista após uma boa passagem natemporada passada. Com esse resultado, o BMG/SBC fecha o primeiro turno naoitava colocação. Apesar de ter um dos melhores saques da competição, o Macaéestá na última colocação.

O Vôlei Futuro está provisoriamente na vice-liderança daSuperliga com a vitória sobre o São Caetano por 3 sets a 1 (25-14, 24-26, 25-21 e 25-11). Aequipe de Araçatuba chegou a ter dificuldades nos sets intermediários dapartida, mas conseguiu impor seu melhor vôlei no quarto set, quando fechou apartida com uma boa vantagem. Fernanda Garay ficou com o Viva Vôlei. O SãoCaetano está na nona posição.
Jogando emUberlândia, o Sesi venceu o Banana Boat/Praia Clube por 3 sets a 1: (23-25,25-18, 25-22 e 25-16). A equipe paulistana encerrou o primeiro turno na quintacolocação. Já seu adversário ficou na sétima posição.

Em casa, o Pinheiros não se apresentou bem e perdeu para o Mackenzie/Cia. do Terno por 3 sets a 1(15-25, 25-19, 25-22 e 25-19). Com esse resultado, a equipe paulistana fica nadécima-primeira posição. Já o Mackenzie fica na sexta colocação.

E para encerrar os jogos desta sexta, temos uma partida quenão terminou no 3 a 1 como as outras: Usiminas/Minas x Rio do Sul. Vitória daequipe que mandou a partida por 3 sets a0 (25-18, 25-20 e 25-16). Ótimo resultado que deixa as mineiras na quartacolocação. O Rio do Sul permanece na décima colocação.


Foto: Divulgação

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

“A vitória precisa vir”, diz a capitã do BMG/São Bernardo antes do duelo contra Macaé

Depois de resultados adversos nas últimas rodadas, a equipe feminina do BMG/São Bernardo sabe que um resultado positivo nesta sexta-feira, 27 de Janeiro, diante do Macaé é essencial para os planos da equipe. O duelo acontece às 20h no Ginásio Juquinha.

“A vitória precisa vir. Sabemos que precisamos vencer essa partida e estamos focadas nisso. Temos treinado bem, agora é colocar em prática isso dentro de quadra”, avaliou a capitã da equipe, a experiente Ciça.

Para a camisa 7, a equipe do ABC paulista pode levar uma vantagem diante das cariocas. “Não vantagem por elas estarem na última colocação, isso não quer dizer nada em um campeonato tão equilibrado e tão disputado como esse. Talvez possamos levar vantagem em alguns fundamentos como na recepção, ao mesmo tempo que teremos que tomar cuidado com o saque de Macaé que é o melhor do torneio. De qualquer modo é preciso ter atenção em todas as ações, do início ao fim da partida”, acrescentou.

A equipe do BMG/São Bernardo aparece na oitava colocação do nacional com 9 pontos conquistados, enquanto o time de Macaé é o último colocado com apenas 4 pontos somados. Para vencer as cariocas o técnico José Alexandre Devesa contará com a oposta Lia Castro que já cravou 129 bolas na quadra adversária, além da ponteira Jú Maranhão que já marcou 100 pontos nesta primeira etapa da Superliga.

Fonte: SM Press

Medley/Campinas vence RJX; Mão é aplaudido pela torcida


Por Marcela Romeiro

O Medley/Campinas conseguiu na noite desta quarta-feira (25) um resultado importantíssimo rumo a caminhada do time na Superliga Masculina de Vôlei. Jogando em casa, no Ginásio do Taquaral, os campineiros contaram com o apoio incessante de sua torcida e venceram o RJX (RJ) por 3 a 1 (25/22; 21/25; 25/21; 25/21) em partida válida pela 11ª rodada do campeonato, última rodada do 1º turno.  Destaque e vencedor do troféu Viva Vôlei da noite, o jogador Mão, ponteiro do Medley/Campinas foi muito aplaudido pela torcida campineira, assim como todo o time ao término do jogo, após 1h53 de duração.


Foto: Divulgação

A partida

Mostrando entrosamento, o Medley iniciou a partida jogando melhor que o adversário e sem grandes dificuldades venceu o 1º set. Já no 2º set, os campineiros diminuíram o ritmo e deram chance para equipe de Dante &Cia crescer. Com inúmeros erros na defesa e o bloqueio não funcionando, a equipe da casa levou a pior e cedeu o empate para o RJX.  A partir do 3º set, o volume de jogo  de Campinas cresceu, e o entrosamento entre os jogadores surtiu efeito. Apoiado a todo momento pelos torcedores e se beneficiando dos erros de ataque do time carioca, a equipe superou o adversário nos dois últimos sets, e garantiu a vitória.

Visivelmente satisfeito com a equipe, o técnico Cacá Bizzochi elogiou o melhora dos atletas durante a competição. “O time vem evoluindo, vem se dedicando, e o resultado é este. Quando o trabalho é bem feito, ele frutifica, e é o que estamos colhendo”. Porém, destacou. “Precisamos continuar no mesmo embalo, e com a dedicação que os atletas estão tendo para continuar vencendo”, finalizou Bizzochi. Pelos lados do RJX, o técnico Marcão destacou a atuação do Medley. “Viemos com expectativa de vitória, mas encontramos uma equipe muito aguerrida, jogando em casa, e na mesma pressão de buscar o resultado. Não conseguimos quebrar o sistema ofensivo deles. Portanto, eles foram superiores”, declarou. Para a próxima partida contra o Sesi, um dos líderes da Superliga, Marcão disse que o time jogará da mesma maneira que vem atuando, sem cautela excessiva.” A tônica do campeonato vem sendo partidas dificílimas. Essa será só mais uma partida difícil. Temos que virar a página, e a partir de hoje começar a pensar só no que devemos fazer melhor contra o Sesi” finalizou.

O próximo compromisso do Medley/Campinas está marcado para sábado (28), ás 18h30, contra a equipe do BMG/Montes Claros (MG), fora de casa, no Ginásio Tancredo Neves (MG). Já o RJX encara na próxima sexta-feira (27) o Sesi (SP,) em casa, no Ginásio do Maracanãzinho, a partir das 21h.

Ouça as entrevistas abaixo. Desligue o player automático aí do lado

Vôlei Futuro termina primeiro turno na liderança; Gustavo de volta ao Cimed/SKY

Por Rodney Brocanelli

O Vôlei Futuro terminou o primeiro turno da Superliga naprimeira colocação com a vitória, em casa, sobre o Volta Redonda por 3 sets a 1 (25-20, 25-27,25-19 e 25-20). O levantador Ricardinho levou para casa o troféu Viva Vôlei.Contudo, o maior pontuador da partida foi da equipe que saiu derrotada:Jamelão, com 23 acertos. Com o resultado de hoje, a equipe fluminense fica nadécima colocação.

Já o Cimed/Sky parece estar reagindo bem a recente mudançano comando técnico. O time catarinense venceu seu compromisso contra o BMG/SãoBernardo por 3 sets a 0 (25-19, 25-21 e25-12). Essa partida teve uma boanotícia para a Cimed/Sky e uma má para a equipe de São Bernardo. Vamos à boa: oretorno do central Gustavo à equipe após uma contução. O atleta teve ativaparticipação a partir do segundo set. Agora, vamos à má noticia: O BMG/SãoBernardo perdeu o terceiro set por 25 a 12, a maior diferença de pontos nestatemporada. A equipe do ABCD paulista ocupa a sétima colocação.

O Sesi caiu para a terceira colocação após perder, fora decasa, para o Sada/Cruzeiro por 3 sets a 2 (25-22, 22-25, 25-21, 20-25 e 15-12). Wallace, do Cruzeiro, brilhounesta partida: troféu Viva Vôlei e maior pontador: 32 pontos, uma marca bemexpressiva. O time mineiro está na quinta colocação.

Na quarta colocação, temos outra equipe mineira: oVivo/Minas, que venceu o UFJF por 3 sets a 0 (25-22, 25-19 e 25/17. A equipe deJuiz de Fora termina esse primeiro turno na décima colcocação.

Em Campinas, o Medley/Campinas venceu o RJX por 3 sets a 1(25-22, 21-25, 25-21 e 25-21). É bem verdade que a equipe carioca vem sofrendocom a série de contusões de seus principais jogadores. Contudo, ainda faltaentrosamento dos atletas que entram em quadra. O time de Eike Batista está naoitava colocação. Já o Medley é o sexto.

Na primeira partida após o anúncio da aposentadoria dolíbero Jairzinho, o BMG/Montes Claros venceu o ainda lanterna Londrina por 3sets a 0 (25-20, 25-23 e 25-18). A equipe de Montes Claros está na nonaposição. O agora ex-atleta esteve no ginásio Tancredo Neves para assistir apartida. Jairzinho deixa o vôlei aos 25 anos e irá mudar de profissão.


Foto: Divulgação

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Superliga B: Santa Catarina recebe segunda rodada do grupo A


Por Crisneive Silveira

Nos dias 26, 27 e 28 de janeiro acontecerá a segunda rodada de jogos da chave A da Superliga B. As equipes FUNVIC/MIDIA FONE , MORRO DA FUMAÇA, SPORT/RECIFE e UFC/CEARÁ voltam a se enfrentar em busca do título da competição no Ginásio do Esucri, em Morro da Fumaça/SC.

O SPORT/RECIFE, sexto lugar na Liga Nacional em 2011, confronta a FUNVIC/MIDIA FONE, líder do grupo, na quinta-feira (26). Em seguida, o MORRO DA FUMAÇA que ainda não pontuou no campeonato desafia a UFC/CEARÁ, segunda na chave. Na sexta-feira (27) o duelo nordestino se repete e a UFC/CEARÁ, com a equipe formada em sua maioria por jogadores do estado, encara o SPORT/RECIFE. O segundo jogo do dia é da equipe formada mais recentemente da competição (um ano) e dona da casa, MORRO DA FUMAÇA, que enfrenta a FUNVIC/MIDIA FONE. No sábado (28/01), a entrosada equipe da FUNVIC/MIDIA FONE, vencedora da primeira divisão do Campeonato Paulista ano passado, joga contra a UFC/CEARÁ. Logo após, encerrando a etapa, o MORRO DA FUMAÇA encontra o oponente SPORT/RECIFE. Todos os jogos acontecerão respectivamente nos horários de 19 e 21 horas.

Ultrapassado o nervosismo inicial e de observação entre as equipes, a expectativa é de que os jogos sejam mais disputados e acirrados a cada etapa.  Os times devem apostar em jogadas mais estratégicas e técnicas de acordo com o adversário. Os dois melhores de cada chave, ao final da fase classificatória, irão adiante na competição em busca do título da Superliga B e da vaga na Superliga 12/13.


Mari brilha em vitória que mantém Unilever na liderança da Superliga feminina


Foto: Divulgação



Por Rodney Brocanelli

Faltando uma rodada para o fim do primeiro turno, o Unilever continua inabalável na liderança da Superliga feminina de vôlei. A equipe do técnico Bernardinho venceu o Vôlei Futuro por 3 sets a 0 (25-14, 25-19 e 25-21), em partida disputada no Maracanãzinho. A noite foi de Mari, que com uma atuação excepcional, fez 17 pontos. De quebra, ela levou o troféu Viva Vôlei.  Com esse resultado, o VF cai para a terceira colcação.


O vice-líder é o Sollys/Osasco, que bateu o Sesi-SP por 3 sets a 0 (25-18, 25-17 e 25-22). A partida aconteceu no ginásio de Vila Leopoldina e teve transmissão da equipe Expressão da Bola, em parceria com a Webfutmundi. A equipe paulistana termina a rodada na quinta posição.  Ouça no final do post as entrevistas com os principais personagens desse confronto.

A última rodada do primeiro turno programa um o duelo do líder Unilever com o vice-líder Sollys. O jogo acontece em Osasco no sábado, as 10h, com transmissão da tv aberta.

Na quarta colocação aparece  Usiminas/Minas, que na segunda-feira, venceu o Mackenzie/Cia. do Terno por 3 sets a 1 (25-23, 25-20, 17-25 e 25-21), em mais um clássico mineiro desta Superliga. Ingrid, do Cia do Terno, foi a maior pontuadora da partida, com 22 pontos. No entanto, sua atuação não evitou a derrota. O Cia do Terno está na sétima colocação.

O Rio do Sul venceu, em casa, o Macaé por 3 sets a 0 (25-18, 25-12, 25-12). O resultado mantém o Macaé na última colocação. É oitava derrota da equipe fluminense por esse placar  só neste primeiro turno.  Já a equipe catarinense fica na nona colocação, de olho em uma das vagas dos play offs da competição.

O oitavo colocado é o BMG/São Bernardo, que jogando em casa, perdeu para o Banana Boat/Praia Clube por 3 sets a 0 (19-25, 20-25, 15-25). A equipe está na sexta colocação.

Já o São Caetano venceu o Pinheiros por 3 sets a 2 (25-20, 17-25, 16-25, 30-28 e 15-12). A equipe do ACBD paulista é a nona colocada. O time da capital está na décima posição.

Ouça as entrevistas feitas logo após Sesi-SP x Sollys/Osasco. Desligue o player ao lado

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Sada/Cruzeiro x Sesi: Duelo de levantadores marca reedição da final da Superliga 2011

Nesta terça-feira, a rodada da Superliga masculina promete fortes emoções. O SESI do levantador Sandro e o Sada do levantador William fazem a reedição da final da edição passada do torneio e, com asequipes precisando se reabilitar na atual competição, o clássico prometeser bem disputado.

Amigos fora de quadra, Sandro e William esperam um duelo digno dos grandes clássicos do esporte brasileiro. "Todas as rodadas disputadas até aqui estão muito equilibradas. A nova regra de pontuação deu certo, veio para  ficar. Não se pode baixar a guarda em nenhum set. Daqui para frente teremos a noção exata disso. Serão rodadas de muitas definições", argumentou o camisa 5 do SESI.

Para Sandro voltar à Minas tem um sabor especial. "Tenho boa recordação daqui não só pelo título da Superliga passada, mas também por que morei dois anos aqui e sempre reencontro grandes amigos", declarou o levantador que defendeu justamente o Sada.

Do lado mineiro, William sabe que é preciso foco. "Será um jogo difícil como vem sendo, temos que acertar algumas coisas. Bolas fáceis que estamos deixando passar as oportunidades. A penalidade é muito grande e é o que está acontecendo, temos oportunidade de contra-ataque e aproveitar. Os jogos tem sido de igual para igual", avaliou o capitão do Sada.

Para William, a reedição da final passada vai além do jogo em si. "Agora  é   uma outra história, o que é legal é o que fica na história de ter sido um jogo de final, pelos momentos bons, apesar de termos perdido, eram dois times que se encaixaram bem no campeonato. Agora o plantel é outro, outro torneio. Não tem rivalidade fora do normal, é nossa busca por três pontos essenciais", acrescentou.

O SESI de Sandro é o segundo colocado na competição enquanto o Sada de William é o quinto colocado do torneio nacional. No ranking de levantamento da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei), El Mago da equipe mineira é  primeiro na lista com 39.61% de aproveitamento das jogadas, enquanto o jogador paulista aparece na sétima colocação com 35.33%.


(via: SM Press)


domingo, 22 de janeiro de 2012

Supeliga B: Apav/Canoas é 100% no grupo B

Por Crisneive Silveira


Terminou no último sábado (21/01) o segundo Grand Prix da Superliga B. Disputado no Ginásio Municipal Pedro Dell´Antonia, em Santo André (SP), todas as equipes do grupo B tiveram oportunidade para conhecer e, agora, estudar melhor os futuros adversários desta fase classificatória.

Na quinta-feira (19/01), no jogo de estréia da chave, o APAV-Canoas venceu por 3 sets a 0 o Climed/Atibaia com parciais de (29/27, 25/18 e 26/24) onde o bloqueio e o contra-ataque foram as principais vantagens do time gaúcho. No mesmo dia, o Santo André, time da casa, venceu o Clube do Remo/AABB por 3 sets a 1 (25/20, 25/23, 23/25 e 25/19) em quase duas horas de partida.

Já na sexta-feira (20/01), o Clube do Remo/AABB que acumulou muitos erros durante a partida teve sua segunda derrota e, desta vez, para o APAV-Canoas que fez 3 sets a 0 (25/21, 25/10 e 25/21). Logo em seguida, o Santo André que teve maior regularidade no jogo, triunfou sobre o Climed/Atibaia, também time paulista, com 3 sets a 0 (25/12, 25/20 e 25/20).

No sábado (21/01), último dia de disputas da segunda chave, o Clube do Remo/AABB com bom saque e trabalhando bem o contra-ataque tem seu primeiro êxito na competição e, de virada, vence o Climed/Atibaia por 3 sets a 2 (20/25, 29/27, 25/18, 23/25 e 15/8). O último jogo desta fase foi do Santo André contra APAV-Canoas. O time gaúcho com um bloqueio afinado venceu o paulista por 3 sets a 0 (25/23, 25/21 e 25/21).

Dessa forma, o time do RS encerra a estreia do grupo B com 9 pontos, sem nenhum set perdido e líder da chave. Em segundo vem o Santo André com duas vitórias e uma derrota somando 6 pontos, depois o paraense Clube do Remo/AABB acumulando 2 pontos com uma vitória por 3 sets a 2 contra a equipe do Climed/Atibaia que somou apenas 1 ponto. O grupo B se encontra novamente no início de fevereiro (2,3 e 4/02) em La Salle, ginásio poliesportivo da cidade de Canoas/RS.

A Superliga B além de dar maior visibilidade ao esporte e acesso à competição de primeiro escalão do vôlei brasileiro, torna-se mais acirrada por favorecer a busca de espaço em grandes times pelos novos atletas que também estão ali para mostrar seu talento individual, fazendo a diferença no resultado em equipe. Enquanto admiradores da modalidade, esperamos que essa geração ainda desconhecida pelo carinho do país, seja precursora do fortalecimento da categoria de acesso e consiga mostrar todo o potencial que o vôlei nacional ainda tem a ser descoberto e trabalhado.


Foto: Divulgação

sábado, 21 de janeiro de 2012

Reação do Volta Redonda é destaque na décima rodada da Superliga masculina

Por Rodney Brocanelli

A grande notícia ao final da décima rodada da Superliga é que o Volta Redonda, com o perdão do trocadilho, parece estar querendo dar a volta por cima nesta competição. No meio da semana, a equipe venceu o Cimed/Sky por 3 sets a 0. Agora, foi a vez de o Vivo/Minas cair diante da equipe do Cidade do Aço pelo mesmo placar. As parciais foram (27-25, 25-21 e 27-25). Ezinho e  Jamelão foram os destaques deste triunfo. O primeiro levou para casa o troféu Viva Vôlei. Já o segundo foi o maior pontuador da partida: 23 acertos.  O VR agora é o nono colocado. O Vivo/Minas é quarto.

O Cimed/SKY venceu seu compromisso contra o UFJF jogando em Juiz de Fora: 3 sets a 0 (24-26, 18-25 e 19-25). Foi a primeira partida da equipe catarinense logo após a saída do técnico Marcos Pacheco.  Em seu lugar, está Douglas Chiarotti, que até então vinha exercendo a função de auxiliar técnico. João Paulo Tavares fez o que poderíamos chamar de um “double-double”. Saiu como o maior pontuador e ficou com o Viva Vôlei. O Cimed/Sky é o terceiro colocado. Já o UFJF está na décima posição.

Essa não foi uma boa rodada para os times mineiros. Além da derrota do BMG/Montes Claros para o BMG/São Bernardo (leia mais aqui), o Sada Cruzeiro perdeu, de virada,  para o RJX no Maracanãzinho por 3 sets a 1 (21-25,  25-17, 25-20 e 25-20).  Lipe, da equipe carioca, foi o destaque.  Anotou 22 pontos e foi contemplado com o Viva Vôlei. Outro “Double-double”. O time de Eike Batista está na sétima colocação.  Já o Sada/Cruzeiro é o quarto.

Se o Volta Redonda está reagindo, o mesmo não se pode dizer do Londrina/Sercomtel. A equipe paranaense perdeu mais uma, agora em casa. O algoz da vez foi o Medley/Campinas por 3 sets a 1 (31-29, 15-25, 22-25 e 17-25).

E na partida das duas melhores equipes da competição, disputada na sexta, deu Vôlei Futuro. A equipe de Araçatuba venceu o Sesi-SP por 3 sets a 1, jogando em São Paulo. Parciais:  (22-25, 21-25, 25-18 e 18-25). O VF está na primeira colocação. O Sesi-SP é o segundo.


Foto: Divulgação

Em jogo com muitos erros BMG/São Bernardo leva a melhor contra o BMG/Montes Claros





Por Rafael Alves


O BMG/São Bernardo, bateu o BMG/Montes Claros-MG  por 3 sets a 1(25-20, 20-25, 25-23 e 25-21) e assumiu temporariamente a 5ª posição da Superliga masculina, que pode se confirmar em caso de tropeço do CIMED/ SKY, que vai até Juíz de Fora(MG) para enfrentar o UFJF-MG.

O jogo, que valeu pela décima rodada da competição, foi bastante irregular, muitos erros das duas equipes, principalmente nos últimos dois sets, com isso, alguns jogadores se destacaram individualmente. Foi o caso de Isac, que teve o melhor aproveitamento do jogo e conquistou o troféu “Viva Vôlei”. Rogério, o “Mineiro”,  foi o maior pontuador do jogo.  Pelo lado mineiro, que ocupa a 10ª posição, destaques para Serafim, que mesmo com a derrota, foi um dos destaques na partida.

No final da partida, o técnico do SBC, Rubinho concedeu entrevista e reconheceu que o jogo técnicamente poderia ter sido melhor: “ Os dois times erraram muito, o jogo foi muito irregular, erramos muitas bolas não forçadas, saques muito alto, o próprio Renan tava bem, depois caiu um pouco”, Apontou o técnico, admitindo que o rendimento realmente ficou abaixo, apesar da vitória.

Também falamos com o premiado do dia, Isac, que comentou sobre a boa partida que fez: “Foi importante ter tido a confiança em um momento em que a partida estava  fechada e difícil, isso só ajudou para essa atuação.”, quando questionado sobre o próximo  confronto, que será contra o CIMED/SKY, o meio de rede mostrou confiança: “Pressão ja está com eles(CIMED), eles vão jogar em casa e precisam da vitória, temos um elenco forte e vamos fazer o nosso jogo para conquistar a vitória”.

Fabiano Bittar, o “Tuba”, comentou sobre alguns lances questionáveis da arbitragem, segundo ele, isso acabou atrapalhando a concentração na parte final do quarto set. (CONFIRA OS ÁUDIOS NA ÍNTEGRA ABAIXO).

Na próxima quarta-feira, às duas equipe entrarão em quadra novamente. O BMG/São Bernardo enfrentará a equipe do CIMED/SKY, enquanto o BMG/Montes Claros  recebe  Londrina/SERCOMTEL que ocupa a 
lanterna da competição.
Abaixo você terá as entrevistas com Rubinho, do BMG/SBC e com Tuba, do BMG/MOC.
video
video
Foto: Divulgação

Unilever bate Pinheiros e segue na liderança da Superliga feminina


Deu a lógica. O Unilever venceu o Pinheiros fora de casa por 3 sets a 0 (20-25, 17-20, 19-25) e reassumiu a liderança da Superliga feminina de vôlei. Apesar da aparente facilidade, o time carioca se mostrou irregular na recepção em determinados momentos da partida. Além disso, o saque não esteve tão eficiente quanto deveria. Esses dois fundamentos irritaram o técnico Bernardinho, que precisou conversar muito com as jogadoras. O Pinheiros terminou a partida com as jogadoras reservas em quadra. Decisão do técnico Wagner Fernandes para dar mais ritmo à essas atletas.

O troféu Viva Vôlei foi concedido à levantadora Fernanda Ventunri. Ela lá tinha conquistado o prêmio na partida contra o Macaé. Logo após a partida, ela disse que apesar do saque não ter funcionado, o Unilever vem crescendo a cada jogo. A atleta pede cuidado para que o time não vacile com os times ditos menores. A equipe do Rio de Janeiro volta a quadra na próxima terça-feira, quando recebe o Vôlei Futuro, no Maracanãzinho. Por sua vez, o Pinheiros, também na terça, vai até São Caetano enfrentar o time da casa.

Ao final da nona rodada as três primeiras colocações ficaram assim: Unilever, com 24 pontos, Vôlei Futuro, com 23 pontos e Sollys/Osasco com 22.


Foto: Divulgação

Vitória do Vôlei Futuro é marcada pelo retorno de Stacy Sykora


Por Rodney Brocanelli

Já virou redundância escrever que os jogos da Superliga tanto masculina como feminina são equilibrados e emocionantes. E a partida entre Vôlei Futuro e Sollys/Osasco não fugiu à regra.  Após 2h37 de partida, a vitória ficou com a equipe de Araçatuba: 3 sets a 2 (27-25, 25-19, 20-25, 19-25 e 15-13. A boa noticia é a volta às quadras da líbero Stacy Sykora, que ficou um bom tempo fora das quadras por causa de um acidente de ônibus com a delegação de sua equipe no ano passado.  Nada melhor que uma vitória para marcar esse retorno. Com o resultado, o Vôlei Futuro é o líder provisório da competição. O Sollys/Osasco é o segundo colocado, também de forma provisória. Neste sábado teremos a partida entre Pinheiros x Unilever e o time carioca pode voltar à primeira colocação.

O Usiminas/Minas é o quarto colocado após a vitória sobre o São Caetano por 3 sets a 0 (25-22, 25-21 e 25-22). A equipe do ABCD paulista ocupa nona colocação depois dessa partida.

O Sesi-SP foi ao ginásio do Baetão para enfrentar o BMG/São Bernardo. E a visita foi bastante produtiva: vitória por 3 sets a 0 (19-25, 14-25 e 19-25). A equipe paulista vem numa boa seqüência de vitórias e está na quinta posição.  Já seu adversário desta rodada ocupa neste momento a oitava colocação.

Nos outros jogos desta sexta, o Macaé permanece na última colocação depois da derrota em casa para o Mackenzie/Cia. do Terno por 3 sets a 0 (23-25, 13-25 e 21-25). A equipe mineira está na sexta colocação.  Outra equipe mineira também se deu bem. O Banana Boat/Praia Clube venceu o Rio do Sul por 3 a 1 (25-13, 32-30, 21-25, 25-22). O time de Uberlândia é a sétima colocada. Por outro lado, as catarinenses estão na décima colocação.


Foto: Divulgação


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Em partida emocionante, BMG/São Bernardo vence o Medley/Campinas na Superliga

Por Marcela Romeiro

Emoção até o último minuto. Esse foi o clima da vitória do BMG/São Bernardo para cima do Medley/Campinas. De virada, a equipe venceu por 3 a 2 (25/18; 20x25; 21x25;25x23;20/22) nesta quarta-feira (18) no Ginásio do Taquaral, fora de casa, em partida válida pela 9ª rodada da Superliga Masculina de Vôlei. O próximo compromisso do São Bernardo será no próximo sábado (14), ás 11h, quando enfrentará a equipe do BMG/Montes Claros(SP) em casa, na cidade de São Bernardo (SP). Já a equipe campineira volta as quadras no mesmo dia, mas diante do Londrina/Sercomtel (PR) , fora de casa, em Londrina (PR).

Além do triunfo fora de casa, o BMG/São Bernardo também levou o troféu Viva Vôlei entregue ao ponta Mineiro, melhor jogador da partida com 29 pontos feitos.  Sobre o controle emocional dos atletas durante a partida, o jogador  disse ser uma tarefa complicada em uma partida disputada como a de hoje. “Nossa função é descontar na bola a raiva e emoção, e esperar que no final, dê tudo certo”, declarou o jogador.


Mineiro levou o troféu Viva Vôlei/Foto: Divulgação

A partida

Jogo em casa, duas vitórias seguidas e Bob eleito o melhor jogador na 8ª rodada. Tudo parecia conspirar a favor do Medley. E a partida deu mostras desse “favoritismo” no início. Com bons bloqueios e a recepção trabalhando bem, os comandados do técnico Cacá Bizzocchi não tiveram dificuldades para vencer o 1º set. 

Já a partir do 2º, a história mudou. O time do São Bernardo voltou bem para o jogo, virando boas bolas e com a recepção funcionando. O Medley/Campinas exagerava no número de bloqueios errados, e com isso o adversário cresceu na partida, vencendo o 2º e 3º set com superioridade e aproveitamento invejável de Mineiro no ataque. No 4º set, o Ginásio do Taquaral foi a loucura. Enquanto a partida se encaminhava para a vitória do São Bernardo, os torcedores foram contemplados com excelente rally convertido em ponto para o time visitante. A partir daí, o volume de jogo dos campineiros cresceu, e com apoio da torcida o time conseguiu vencer o set, levando o jogo para o tie break. A tensão foi grande, e as equipes pontuavam em sequência. A vitória veio em  um melhor momento do São Bernardo, que acabou fechando a partida em 20x22.

Questionado sobre o impacto da derrota, o levantador Rodriguinho, do Medley, demonstrou tranqüilidade, e ressaltou a qualidade dos adversários. “A equipe deles é muito boa, são garotos jovens que tem tudo para crescer e chegar a Seleção Brasileira”, destacou o jogador. Quanto aos erros do Medley, o jogador preferiu destacar a evolução dos jogadores até o momento na competição, assim como o técnico Cacá Bizzocchi, que elogiou o espírito de superação de seus atletas em quadra. Além disso, Bizzocchi também falou do jogo da equipe adversária. “Eles (São Bernardo) aproveitaram melhor as chances que tiveram. O nível técnico do campeonato é alto, e é preciso aproveitá-las para continuar vivo no jogo”, observou o técnico.

Para Rubinho, técnico do BMG/São Bernardo, a vitória é de suma importância no processo de motivação da equipe. “ Vencemos uma equipe muito forte. A dificuldade foi grande, o jogo bonito, plástico e estamos felizes pelo resultado positivo”. Sobre a sequência da equipe na  Superliga, o técnico finalizou. “Temos que estar equilibrados e sempre buscar a vitória”.

Com a vitória, o São Bernardo chegou a 15 pontos na competição, e permanece na 6ª colocação da Superliga após nove partidas disputadas. O time de Campinas somou um ponto, e chegou a 13 na competição. Porém, a derrota custou o 7º lugar do time, que caiu para 8º na classificação geral.

Entrevistas

Ouça abaixo entrevistas com os personagens da partida. Desligue o player ao lado.


video







Sesi-SP e Vôlei Futuro perdem, mas continuam na ponta; Volta Redonda surpreende

Por Rodney Brocanelli

Apesar da derrota para o Vivo/Minas, a equipe do Sesi-SP permanece liderando a classificação geral da Superliga masculina. Como já virou rotina nesta competição, o jogo, que aconteceu na Arena Vivo, teve bastante equilíbrio, como comprovam as parciais: (21-25, 25-19, 21-25, 25-21 e 17-15). Na definição do resultado, prevaleceu o fator casa. O tcheco Flip tem motivo duplo para comemorar. O jogador levou o troféu Viva Vôlei e ainda foi o maior pontuador da partida, com 28 acertos.  A equipe do Vivo/Minas fecha a nona rodada na terceira colocação.

Outra equipe que perdeu nessa rodada, mas não caiu na tabela foi o Vôlei Futuro, que manteve a segunda colocação. Duas coincidências: a derrota se deu frente a uma equipe mineira, o Sada/Cruzeiro, e  pelo mesmo placar 3 sets a 2 (25-21, 20-25, 24-26, 25-14 e 13-15). A partida aconteceu em Araçatuba. Os erros de saque da equipe da casa ajudaram bastante o adversário desta rodada. Mas o jogo foi decidido no tie-break com um cartão amarelo para cada lado quando o placar apontava 14 a 12.  O Sada/Cruzeiro está na quarta colocação.

O resultado mais surpreendente desta rodada foi a vitória do Volta Redonda, fora de casa, sobre o Cimed/Sky por 3 sets a 0  (23-25, 22-25 e 22-25). Um destaque para casa equipe: Rivaldo, da equipe catarinense, foi o maior pontuador, com 13 pontos. O troféu Viva Vôlei foi para o atleta Everaldo, do time vencedor. Com o resultado, o Cimed/Sky caiu para a quinta colocação. Já o Volta Redonda ainda está na décima primeira posição.

O RJX viajou até Londrina venceu a equipe da casa por 3 sets a 1 (24-26, 17-25, 25-23 e 23-25). A equipe carioca colocou fim a uma série de três derrotas seguidas com esse resultado.  Está na sétima colocação. Já o Londrina permanece na última posição.

Para terminar, mais outros dois jogos equilibrados. Em casa, o BMG/Montes Claros venceu o UFJF por 3 sets a 2 no clássico mineiro da rodada. Parciais (15-25, 23-25, 25-20, 25-23 e 15-12). A equipe de Montes Claros é a décima colocada. Por sua vez, o time de Juiz de Fora está uma posição acima, a nona.

Em partida transmitida pela equipe Expressão do Vôlei/Webfutmundi, o Medley/Campinas perdeu para o visitante BMG/São Bernardo por 3 sets a 2: (25-18, 20-25, 21-25, 25-23 e 20-22).Com esse resultado, a equipe do ABCD paulista termina essa rodada na sexta colocação. Já os campineiros estão na oitava colocação. 


Foto: Divulgação

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Superliga B terá continuidade nesta semana com os jogos do grupo B

Por Crisneive Silveira

Será iniciada a segunda rodada da Superliga B. O campeonato que é disputado em sua fase classificatória no formato de Grand Prix terá a estreia das equipes do grupo B que é formado por times de três das cinco regiões do país: norte, sul e sudeste.

No primeiro dia de jogos (19/01,) a equipe gaúcha Apav-Canoas que tem como técnico o campeão olímpico Paulão, enfrenta a Climed/Atiabaia (SP). Em seguida, é a vez do time da casa, Santo André (SP) conhecer o representante da região Norte, Clube do Remo (PA). No segundo dia (20/01), o Clube do Remo (PA) que já fez parte da elite do voleibol brasileiro em 1983, conhecerá o Apav-Canoas (RS). Logo depois, o Santo André (SP), veterano em Superligas (participou de 13 das 18 edições), faz seu segundo jogo contra a Climed/Atibaia (SP) que chega a competição embalada por um quinto lugar no tão disputado Campeonato Paulista. No terceiro dia (21/01), o Clube do Remo (PA) encara a Climed/Atibaia (SP) e, encerrando a fase de estreia do grupo B e a segunda fase de Grand Prix, o Santo André (SP) joga contra o Apav-Canoas (RS).

Todos os jogos desta fase acontecerão no Ginásio Municipal Pedro Dell´Antonia, em Santo André/SP. No total, serão 4 Grand Prix em cada grupo. Cada equipe sediará uma rodada da competição e participará de outras três como visitante das equipes do grupo. A Superliga B além de incentivar a formação de novos times de vôlei pelo país incita a competitividade entre os que já participam da disputa, pois, vale a chance de participar da próxima Superliga A de vôlei masculino.



Unilever é a nova líder da Superliga feminina; Vôlei Futuro e Sollys Osasco estão na cola

Por Rodney Brocanelli


A oitava rodada da Superliga feminina de vôlei foi muito boa para o Unilever. Com a combinação de resultados, e pelo critério de desempate (o set average), a equipe está na liderança da competição, com 21 pontos.  As comandadas do técnico Bernardinho, jogando no Maracanãzinho,  venceram sem grandes sustos o Usiminas/Minas por 3 sets a 0 (25-19, 25-12 e 25-17). Com a derrota, a equipe mineira permanece na quarta colocação.

Logo a seguir, com os mesmos 21 pontos vem o Vôlei Futuro. A derrota por 3 sets a 2 para o Sesi-SP garantiu ao menos um pontinho para não deixar a equipe carioca se distanciar na tabela. A partida teve grande equilíbrio. Cada equipe venceu um set alternado (25-22, 16-25, 25-19, 19-25 e 15-9). No entanto, no tié break, prevaleceu e melhor defesa da equipe paulistana. A vitória deixa o Sesi-SP na quinta colocação.

O Sollys/Osasco assistiu a tudo isso de camarote. No dia anterior, a equipe venceu o Pinheiros por 3 sets a 0 (25-17, 25-14 e 25-15). A equipe da grande São Paulo também chegou aos 21 pontos. Resta saber como era irá se comportar com o desfalque da oposto norte-americana Destinee Hooker, que está contundida e ficará fora da equipe por aproximadamente um mês.  O Pinheiros é o décimo primeiro colocado.

Em Belo Horizonte, o Mackenzie/Cia. do Terno recebeu o Banana Boat/Praia Clube. Vitória das donas da casa por 3 sets a 1 (25-22, 25-21, 23-25 e 25-14). A vitória faz com que a equipe mineira suba uma posição na tabela. Agora é a sexta colocada.  Já o Banana Boat vem logo na sequência, ocupando a sexta posição.

O BMG/São Bernardo, jogando fora de casa, perdeu para o Rio do Sul por 3 sets a 2 (25-20, 20-25, 19-25, 25-11 e 15-9). A equipe do ABCD paulista agora está na oitava colocação da classificação geral. Por sua vez, seu adversário desta rodada sobe uma colocação, agora está em décimo, e deixa a vice-lanterna para o Pinheiros.

Na última colocação, temos o Macaé, que perdeu fora de casa para o São Caetano por 3 sets a 2 (24-26, 25-21, 25-20, 17-25 e 15-13). A outra equipe do  ABCD paulista é a nona colocada.


Foto: Divulgação

domingo, 15 de janeiro de 2012

Superliga B: primeira rodada do grupo A serviu para que equipes se conhecessem


Por Crisneive Silveira

Encerrada ontem a primeira rodada de Grand Prix da Superliga B. Os jogos do grupo A que iniciaram nessa quinta-feira (12) serviram principalmente para as equipes se conhecerem,  tomar ritmo de jogo, começar a fazer ajustes e aliviar o nervosismo de estreia num campeonato que será longo, disputado e valerá a oportunidade de passar a elite do vôlei nacional.

No primeiro dia, a equipe da UFC/CE superou o Morro da Fumaça/SC por 3 sets a 0 (14/25, 18/25 e 15/25) e tornou-se a primeira equipe a vencer um jogo no campeonato. Logo em seguida, imprimindo um ritmo de jogo mais rápido e com ataque eficiente, a FUNVIC/SP passou pelo Sport Recife, também com o mesmo placar (25/17, 25/17 e 25/21).

No segundo dia de competição, a equipe pernambucana fez 3 x 0 (25/23, 30/28 e 25/18) no Morro da Fumaça/SC e a FUNVIC/Midia Fone, apostando na regularidade e constante evolução dos seus fundamentos,  conquistou sua segunda vitória derrotando a UFC/CE com placar idêntico (25/18, 25/17 e 25/20).

Já no sábado, no duelo nordestino que deu novo fôlego aos atletas devido a uma rivalidade entre os times, a UFC com saques e passes melhores venceu o Sport Recife por 3 sets a 0 (25/19, 25/18 e 26/24) e o FUNVIC/SP derrotou o Morro da Fumaça (25/15, 25/22 e 25/21) assumindo a liderança do campeonato.

A equipe de São Paulo, FUNVIC/ Media Fone, soma três vitórias e está invicta no grupo A e na competição com 9 pontos. Logo em seguida, a UFC/CE com 6 pontos, depois Sport Recife com 3 e em quarto lugar, o Morro da Fumaça/SC que ainda não pontuou. Os times já têm seus próximos confrontos marcados. Acontecerão no Ginásio do Esucri, em Morro da Fumaça/SC, nos dias 26, 27 e 28 de janeiro.


Foto: Divulgação

RJX erra muitos saques e perde mais uma em casa


Foto: Divulgação

Por Carlos Ramos, correspondente Expressão do Vôlei no Rio de Janeiro

Era a segunda partida do RJX no Maracanãzinho, a segunda chance da equipe conquistar um resultado positivo diante da torcida, que mais uma vez compareceu em bom número.

Porém, os paulistas do Vôlei Futuro acabaram com a vontade da equipe carioca e venceram a partida por três sets a dois (parciais de 22/25, 25/22, 25/18, 22/25 e 11/15).

O primeiro set foi equilibrado, com o Vôlei Futuro levando vantagem na reta final. Já no segundo e no terceiro, com o apoio da torcida e com ótimos bloqueios, o RJX foi pra cima e virou a partida.

Depois da virada, a equipe do Rio de Janeiro caiu de produção e um de seus principais defeitos foi exposto: o saque. Com muitos saques errados em sequência, o RJX tomou a virada e perdeu a partida em três sets a dois, para a decepção da torcida no ginásio.

 “Falta organizar um pouco quem é que vai forçar e quem não vai. Erros consecutivos às vezes atrapalham. O time está começando, vamos ver se melhora”, disse Lucão sobre o saque ruim da equipe da casa.

Na próxima partida, o RJX, que segue na sétima posição na tabela da Superliga, vai até Londrina enfrentar o SERCOM Tel, no dia 18, às 20h. Já o Vôlei Futuro, segundo colocado, atua também no dia 18 às 20h, contra o Cruzeiro, em Araçatuba.

Após o jogo, o repórter Carlos Ramos conversou com os atletas (Para ouvir, desligue o player ao lado)

 

No duelo de líderes, Sesi-SP supera Cimed/Sky e continua na ponta da Superliga


Por Guto Monte Ablas

O jogo colocou frente a frente o líder e o vice-líder da Superliga, o atual campeão Sesi-SP contra o maior campeão do torneio Cimed/Sky.

E o jogo atendeu todas as expectativas do encontro!

No primeiro set, a Cimed/Sky começou melhor e chegou a abrir 3x0 de início, mas o Sesi-SP cresceu e equilibrou o set, mas o time de Florianópolis manteve a pegada no forte e segurou o time da casa, fechando a primeira parcial por 25-18.

No segundo set, o time da casa entrou mais ligado e empurrado pela sua torcida que lotou todas as dependências do Ginásio da Vila Leopoldina e com Wallace e Murilo virando todas as bolas em favor do Sesi-SP pelas pontas, o time da casa controlou o set e fechou a contagem por 25-21 empatando a partida.

Iniciado o terceiro set, o Sesi-SP se manteve no controle da partida e foi levando o set com Murilo e Wallace inspirados, Diogo, que entrou no decorrer do jogo, muito vibrante e principalmente com o bloqueio funcionando com Thiago Barth, Sidão e Sandro. Pelo lado da Cimed/Sky Renato, Felizardo e Rivaldo eram os destaques. Próximo ao final do set, o clima ficou quente no Ginásio. Depois de marcado o 21º ponto do time da casa, Bruninho reclamou de uma possível invasão por baixo pelo jogador do Sesi-SP, Murilo entrou na discussão e o árbitro acabou advertindo Bruninho com cartão amarelo no lance. Serginho continuou a reclamar e também foi advertido deixando a partida 22-19 com saque para a equipe do sul do país. Os ânimos continuaram quentes, mas o time paulista segurou o resultado e fechou em 25-21 e abriu 2-1 no jogo.

O terceiro set o jogo foi bem controlado pelo time da casa, mais uma vez o bloqueio funcionando bem e Murilo, Wallace e Diogo muito bem na partida ficou tranquilo pro Sesi-SP fechar o set por 25-19 e a partida por 3-1. Wallace foi o maior pontuador da partida com 19 pontos e o troféu viva-vôlei foi para o ponteiro Murilo. Pelo lado da Cimed/Sky, Rivaldo, com 16 pontos anotados, foi o grande destaque.

Com o resultado o Sesi-SP se mantém na liderança do torneio com 20 pontos, enquanto a Cimed/Sky fica com 16 e é ultrapassada pelo Vôlei Futuro que venceu o RJX por 3-2.

Após o jogo, conversei com os jogadores Murilo, Sandro e com o técnico Giovane Gávio pelo lado do Sesi-SP e com o capitão Bruninho e o técnico Marcos Pacheco pelo lado da Cimed/Sky (Para ouvir as entrevistas, desligue o player ao lado)


Sesi líder; Vôlei Futuro vice-líder; RJX sofre com falta de entrosamento

Por Rodney Brocanelli


A oitava rodada da Superliga masculina manteve o Sesi na liderança isolada da competição com a vitória, dentro de casa, para o Cimed/Sky por 3 sets a 1 (18-25, 25-23, 25-21, 25-19). O jogo foi tenso, com muitas reclamações sobre decisões da arbitragem. No fim das contas, venceu a equipe que lidou melhor com o clima da partida dentro de quadra. Murilo levou o troféu Viva Vôlei. O time catarinense caiu para a terceira colocação com esse resultado.

Já o Vôlei Futuro é o novo vice-líder após vencer o RJX  no Maracanãzinho por 3 sets a 2 (22-25, 25-22, 25-18, 22-25 e 11-15). É a terceira derrota seguida da equipe do Rio de Janeiro. Nas duas últimas rodadas, perdeu para o Vivo/Minas (casa) e BMG/São Bernardo (fora). O investidor do RJX conseguiu montar um time e sua respectiva comissão técnica. Só não conseguiu contratar algo fundamental para a regularidade de uma equipe: o entrosamento. Os cariocas estão na oitava posição.

O Vivo Minas venceu de virada o Sada/Cruzeiro no confronto direto entre mineiros desta rodada: 3 sets a 2 (31-29, 25-22, 17-25, 22-25,  13-15). Com o resultado, o Vivo/Minas está na quarta colocação, seguido de perto pelo Sada, que ocupa a quinta posição.

Festa em Londrina para comemorar a primeira vitória do Londrina/Sercomtel nesta Superliga. O time da casa venceu o BMG/São Bernardo por 3 sets a 1 (25-23, 25-23, 20-25 e 25-18). A partida aconteceu na sexta-feira. O resultado não alivia a situação do Londrina/Sercomtel, que ainda ocupa a lanterna da tabela de classificação.  Por sua vez, o time de São Bernardo está na sexta colocação.

O BMG/Montes claros foi até Volta Redonda para conseguir uma vitória sofrida: 3 sets a 2 (25-22, 19-25, 25-23, 23-25 e 9-15). Tuba ficou com o troféu Viva Vôlei. O time do interior de Minas Gerais está na décima colocação, uma posição à frente do VR, que é o vice-lanterna desta competição até o momento.

E o Medley/Campinas continua seu processo de recuperação nesta Superliga, após um mau começo. Jogando fora de casa, venceu o UFJF por 3 sets a 0 (16-25, 22-25 e 18-25). Os campineiros ocupam agora a sétima colocação. Por sua vez o time de Juiz de Fora está na nona posição.



sábado, 14 de janeiro de 2012

Giba: "A gente tem que encarar um time, uma seleção, como uma empresa"


Ainda em recuperação de uma fratura por estresse na canela esquerda, o atacante Giba concedeu uma entrevista neste sábado ao programa “Esporte e Notícia Internacional”, da Rádio Bandeirantes (SP). Durante a conversa com o apresentador Sergio Patrick, o jogador da seleção brasileira e do Cimed/SKY falou sobre diversos assuntos.

A contusão que tira o atleta de toda a primeira fase da Superliga 2012 foi o primeiro deles. Giba disse que nessa fase de recuperação, ele está trabalhando o músculo para evitar qualquer tipo de problema futuro no quadril ou no joelho. “Tem que repousar um pouco, tirar o salto, o impacto, mas tem que continuar trabalhando outras coisas”, afirmou.  Para Giba, essa é uma contusão que acontece em qualquer tipo de esportes. “O calendário ajuda”, complementou. A prioridade é voltar ainda na fase final da Superliga masculina.

Giba falou também sobre o relacionamento do técnico Bernardinho com o jogadores e eventuais brigas. O jogador traçou um paralelo com a vida corporativa. “Em qualquer empresa isso é normal. A briga é sempre para o lado positivo, para que a gente chegue a um objetivo em comum. A gente tem que encarar um time, uma seleção como uma empresa. Ainda bem que essas brigas acontecem pelo melhor”, disse. 

Mesmo tendo como foco o curto prazo , que é voltar logo às quadras para ajudar o Cimed e estar com a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres, Giba já faz projeções para o futuro mais distante. Ele diz que pretende atuar na seleção brasileira por mais um ano. Já em clubes, o atacante fica um pouco mais: dois anos. Depois disso, diz que está na hora de curtir a família. Um dos seus desejos é participar da parte administrativa do voleibol. “A vida é a melhor escola, mas é preciso ter um mínimo de preparação para desempenhar essa área”, disse.

Sobre o futuro da seleção, Giba diz que o Brasil está no caminho certo. “Vem uma geração boa, uma molecada boa por aí e tem como manter a hegemonia por mais alguns anos”, falou.


Foto: Divulgação


                

Vôlei Futuro leva sufoco, vira, e segue líder da Superliga Feminina




Por Guto Monte Ablas

O jogo mostrou o porque a Superliga é o torneio mais disputado do mundo!

Líderes da Superliga feminina, as meninas do Vôlei Futuro foram até o Ginásio Henrique Vilaboim para enfrentar as donas da casa, o Pinheiros, que ocupavam apenas a nona colocação do torneio em um jogo teoricamente fácil para a equipe de Araçatuba...teoricamente!

As meninas do Pinheiros, lideradas pela oposta Andréia Laurence, entraram muito ligadas na partida e tiveram o controle do primeiro set, chegando abrir 6 pontos e liderar por 20x14. O técnico Paulo Coco, percebendo o domínio da equipe da capital, tirou a levantadora Ana para a entrada de Ana Tiemi e a Ponteira Clarisse para a entrada de Fê Garay. Quando a ponteira chegou ao saque, o time do Vôlei Futuro se recuperou no jogo, mas o time da casa acordou e fechou o período por 25-22.

No segundo set, o Vôlei Futuro entrou com a formação que terminou o primeiro set e levou ao crescimento no final da partida e começou melhor, mas o time do Pinheiros rapidamente tomou as ações do jogo e manteve a tônica do primeiro set e teve nova vitória, dessa vez 25-19.

No terceiro set, o time da casa estava com moral e queria levar uma surpreendente vitória para elevar a moral no jogo e o Vôlei Futuro entrou no tudo ou nada. E começou melhor, controlando o jogo e levando a partida da forma que quis, dominando e em grande atuação da ponteira Paula Pequeno, fechou o período, vencendo por 25-21.

A vitória no terceiro set deu moral ao time de Araçatuba. Em mais uma boa atuação de Fê Garay e de Paula Pequeno, abriu 20-11. O time do Pinheiros, com boas jogadas de saída de rede com Dani, encostou, mas o Vôlei Futuro fechou por 25-18.

No Tie-Break, o time de Araçatuba entrou com tudo querendo fechar logo a partida e chegou a abrir cinco pontos de vantagem e chegou ao match-point com 14-08. O time do Pinheiros cresceu quando Dani entrou no saque, com dois aces seguidos, e encostando por 14-13. Mas em mais uma bola de Paula Pequeno, fechou o jogo em 15-13, dando a vitória por 3-2 para o time de Araçatuba!

Com a vitória e os dois pontos conquistados, somada com a derrota do Sollys/Nestlé para o Usiminas/Minas por 3-1, manteve a liderança da Superliga feminina chegando aos 20 pontos. o Unilever venceu o Macaé e chegou a segunda colocação.

Depois da partida conversei com  a ponteira Andréia Laurence e a oposta Dani e pelo lado do Pinheiros e com o técnico Paulo Coco e a jogadora Paula Pequeno pelo lado do Vôlei Futuro (não esqueça de pausar o player do lado).


Fernanda Venturini é destaque do Unilever em rodada que marcou mudanças nas primeiras colocações

Por Rodney Brocanelli

O Vôlei Futuro assumiu a ponta isolada da tabela de classificação ao vencer, numa virada espetacular,  o Pinheiros por 3 sets a 2 (25-22, 25-19, 21-25, 18-25 e 13-15). A partida teve transmissão da equipe Expressão do Vôlei em parceria com o site Webfutmundi (leia e ouça mais aqui). Paula Pequeno, ponteira da equipe de Araçatuba, levou o troféu Viva Vôlei. O resultado mantém a invencibilidade do Vôlei Futuro na competição: 7 vitórias em 7 jogos. O Pinheiros está na nona colocação.

E falando em invencibilidade, o Sollys/Nestlé perdeu a sua ao ser derrotado fora de casa pelo Usiminas/Minas por 3 sets a 1 (25-21, 15-25, 26-24, 25-17). A cubana Herrera, ponteira da equipe mineira, anotou 23 pontos nesta partida. O time de Osasco terminou a rodada na terceira colocação. Por sua vez, o Usiminas/Minas ficou na quarta colocação.

No clássico regional carioca, o Unilever bateu o Macaé por 3 sets a 0 (25-21, 25-19 e 25-17). A levantadora Fernanda Venturini levou o  Viva Vôlei para casa. Em que se pese o fato de que o prêmio é concedido pela comissão técnica da equipe vencedora, o troféu é uma forma de mandar um recado: apesar de estar com  41 anos, Fernanda está jogando como nunca. Quem quiser, que receba essa mensagem. O Unilever é o segundo colocado na tabela de classificação da Superliga. Já o Macaé é o último.

Uma equipe que conseguiu um ótimo resultado nessa rodada foi o Sesi-SP que, fora de casa, venceu o Rio do Sul por 3 sets a 1 (24-26, 25-22, 15-25 e 20-25). O time paulista é o quinto colocado. Por sua vez, a equipe catarinense é o décimo primeiro, apenas à frente do lanterna Macaé.

O BMG/São Bernardo teve muito trabalho para vencer em casa o Mackenzie/Cia. Do Terno por 3 sets a 2 (18-25, 22-25, 25-17, 25-20 e 15-10). O time do ACBD paulista ocupa a sétima colocação, logo atrás do seu rival nesta rodada, que está na oitava colocação.

Em Uberlândia, o Banana Boat/Praia Clube não tomou conhecimento do São Caetano. Vitória por 3 sets a 0 (25-20, 25-23 e 25-18).  O time mineiro é o sexto colocado. Já o outro time do ABCD paulista nesta Supeliga fecha a rodada na décima colocação.




Foto: Divulgação

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Vai começar a Superliga B


Por Crisneive Silveira


Estreia hoje, quinta-feira, a Superliga B de vôlei masculino. O nascimento da competição é resultado de uma realidade de crescimento e expansão que a modalidade vem apresentando no Brasil e que merece atenção. Democratizar o acesso à elite do vôlei nacional trouxe uma nova perspectiva a jogadores de clubes menores, de regiões além do eixo sul-sudeste do país e gradativamente populariza mais o esporte.

Formada por oito equipes divididas em dois grupos, a Super liga B terá o formato de Grand Prix e o mesmo sistema de pontuação da Superliga A onde o time que vencer por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1 soma três pontos e o jogo que tiver resultado de 3 sets a 2, o vencedor conquista dois pontos e o perdedor ganha um. No grupo A estão  Funvic/Midia Fone (SP), Morro da Fumaça (SC), Sport Club Recife (PE) e UFC/Ceará (CE) e no B,  Santo André (SP), Climed/Atibaia (SP), Apav/Canoas (RS) e Clube do Remo (PA).

A primeira rodada da competição acontecerá no Ginásio Esportivo Juca Moreira, em Pindamonhangaba/SP, de 12 a 14 de janeiro entre as equipes do grupo A com jogos às 18hs e 20hs. Os jogos iniciais serão entre Morro da Fumaça (SC) e UFC/Ceará (CE), e entre Funvic/Midiafone (SP) e Sport Clube do Recife (PE). Já no dia 13 o Sport enfrenta o Morro da Fumaça e Funvic/Midiafone, a UFC/Ceará. No último dia, a UFC/Ceará vai disputar com o Sport Clube do Recife, e logo depois o Funvic/Midiafone encerrará a rodada contra o Morro da Fumaça.

A CBV foi assertiva ao criar a Superliga B, pois, além de aumentar as chances do país conhecer novos talentos no esporte, vai suprir a carência de um público que admira o voleibol nacional e não imaginava sequer a possibilidade de ver grandes promessas de times regionais em uma competição de tamanha relevância.  A expectativa é que o evento se solidifique e cresça com a mesma credibilidade da Superliga A, trazendo novos times, patrocínios e, principalmente, muito mais adeptos ao vôlei na prática e na admiração.



Medley/Campinas joga bem, e leva a melhor diante do Volta Redonda


Entrosado, time campineiro não teve dificuldades para chegar a segunda vitória na competição

Por Marcela Romeiro 

O Medley/Campinas respira aliviado. Sem dificuldades, a equipe venceu o Volta Redonda (RJ) por 3 a 2 (25/22; 25/16; 25/21) nesta quarta-feira (11) no Ginásio do Taquaral, em casa, em partida válida pela 7ª rodada da Superliga Masculina de Vôlei. O próximo compromisso do time campineiro será no próximo sábado (14), ás 19h, quando a equipe enfrentará o UFJF (MG), fora de casa, em Juíz de Fora (MG). Já o time carioca também volta as quadras no próximo sábado, mas diante do BMG/Montes Claros (SP) , em casa, na cidade de Volta Redonda (RJ).

A vitória garantiu mais três pontos para a equipe da casa, que agora chega aos 9 pontos, em 7 partidas disputadas. O Voltaço permanece com 4 pontos conquistados. Um dos destaques da equipe de Campinas na partida, o oposto Bob ressaltou a importância da vitória dentro de casa. “Foi fundamental. É imprescindível fazer um bom trabalho aqui, diante da nossa torcida. Nossa auto estima aumenta muito”, destacou o jogador.


Foto: Divulgação


A partida

Impondo-se desde o início, o Medley/Campinas  foi moldando seu estilo de jogo. O destaque ficou por conta da atuação de Rodriguinho. Distribuindo bem o jogo, o levantador fez a alegria dos opostos Zanuto (10 pontos) e Mão (15 pontos), que se destacaram com boas viradas de bola. Enquanto isso, a equipe do Volta Redonda pecava no excesso de passes errados e saques para fora. Além do ataque, outro fundamento que funcionou para o Medley foi a defesa.Com André Heller, Zanuto e Gustavão, a equipe inibiu os jogadores do time carioca no bloqueio. Porém, quem não se deixou intimidar pelos “gigantes” adversários foi o oposto Aureliano. Com boas viradas de bola, o jogador enfrentou o paredão campineiro e foi o destaque do Voltaço no jogo. Mas, não deu para os Gigantes de Aço. Com o apoio da torcida, e contagiado com a sequência de jogadas rápidas e precisas, o Medley/Campinas fechou a partida jogando melhor em todos os sets.

O resultado positivo deu novo ânimo ao Medley, após um mau início na competição. Segundo o técnico Cacá Bizzochi, a equipe foi bem, e conseguiu fazer uma partida convincente. Porém, destacou que isso faz parte de um processo de amadurecimento. Além disso, aproveitou para destacar os próximos desafios do time. “Temos um sequência de jogos importantes contra UFJFX (MG), São Bernardo (SP) e Londrina (PR) que podem nos levar para cima ou para baixo da tabela, dependendo dos resultados. O grupo está focado nessas três partidas, em busca de retomar a confiança e o caminho rumo as primeiras colocações”, disse Bizzochi.

Sobre a derrota do Volta Redonda, o técnico Sérgio Negrão disse que faltou personalidade a equipe, e destacou a atuação do adversário. “Não impusemos nosso melhor ritmo de jogo. Além disso, o Medley não deu o menor espaço para nossa equipe crescer. Não nos encontramos em quadra”, desabafou Negrão. Quanto aos erros de fundamento, o técnico foi obejtivo. “Precisamos trabalhar saque e recepção. Nossa equipe joga muito mais que isso”, enfatizou.

Ouça abaixo as entrevistas feitas com os principais personagens da partida (basta desligar o player automático aí do lado).